Bolsas de Estudo

Versão para impressão

A Comissão de Pós-Graduação do Programa de Linguística Aplicada é responsável pela atribuição das bolsas de mestrado e doutorado da CAPES e do CNPq. As bolsas de mestrado e doutorado da FAPESP são atribuídas por esta agência diretamente aos alunos e orientadores, mediante solicitação nos prazos por ela estabelecidos. 

Além das regras estabelecidas por cada agência, a Resolução CCPG-LA nº 01/2018 estabelece as regras internas do Programa de Linguística Aplicada. O que segue abaixo é uma lista de pontos que surgem mais frequentemente . Além da resolução CCPG-LA nº 01/2018 na íntegra, consulte também os sítios das agências de fomento (www.capes.gov.br; www.cnpq.br; www.fapesp.br) para mais detalhes.

 

Perguntas frequentes sobre bolsas

Quem pode requerer bolsa?

Qualquer aluno ingressante no programa que não possua, no momento da atribuição da bolsa, qualquer tipo de vínculo empregatício.

 

Quantas bolsas estão disponíveis e por quanto tempo?

O número de bolsas disponíveis a cada ano depende da cota recebida pelo Programa da Capes e CNPq. As bolsas da cota são "contínuas", sendo o seu "ocupante" substituído ao final de 24 meses de bolsa ou de curso (o que ocorrer primeiro) no caso do Mestrado e 48 meses de bolsa ou de curso (o que ocorrer primeiro) no caso do Doutorado, necessariamente.

 

Quais os critérios de seleção e classificação dos bolsistas?

A aprovação do candidato no processo seletivo não garante bolsa. Ao ingressar no Programa, o aluno interessado passa a integrar uma lista organizada por ordem de prioridade, lista essa que vai sendo atualizada conforme bolsas antigas vão sendo "desocupadas" e tornando-se disponíveis para novos beneficiários.

A partir de 2018, o PPG-LA dispõe de um sistema de cotas étnico-raciais para negros (pretos e pardos) que reserva, a cada ano, uma parcela de 25% das bolsas para cotistas.

A ordem de prioridade para a atribuição de bolsas, tanto na parcela dos cotistas, quanto nos 75% restantes, é a ordem de classificação ao final do processo seletivo. Porém, dá-se precedência, igualmente em dependência da ordem de classificação, aos ingressantes que comprovadamente residirem a mais de 500 Km de Campinas no momento da seleção e comprovarem ter fixado residência em Campinas, para realização do curso, em até 30 dias após a realização da matrícula.

 

É possível manter trabalho remunerado concomitante ao recebimento da bolsa?

Embora o ingressante não possa ter vínculo empregatício vigente no momento da atribuição da bolsa, é permitido ao bolsista trabalhar por, no máximo, 20h semanais, para doutorandos, e 8h semanais, para mestrandos, mantidas duas condições: (1) a atividade seja demonstravelmente compatível com o propósito de sua pesquisa e (2) haja concordância expressa do orientador.

O que é necessário fazer para manter a bolsa ao longo do curso?

Antes de mais nada, manter desempenho acadêmico compatível, ou seja, não ter reprovação em nenhuma disciplina, manter coeficiente de rendimento maior ou igual ao mínimo estabelecido pelo Regulamento do Programa e estar em dia com os exames de proficiência e qualificação requeridos. Além disso, estar em dia com os sistemas de registro de produção científica que a Capes utiliza para avaliar o Programa (Currículo Lattes e Plataforma Sipex), participar do Programa de Estágio Docente (PED) e, finalmente, cumprir com as exigências estipuladas pelas agências de fomento, estabelecidas nos Termos de Outorga/Aceitação assinados.

 

O que acontece se o bolsista não conseguir concluir o curso dentro do prazo?

Caso não consiga concluir o curso dentro do prazo máximo de integralização, o bolsista terá que devolver o valor integral da bolsa à agência concedente.

. Rua Sérgio Buarque de Holanda, no 571
Campinas - SP - Brasil
CEP 13083-859

...