Instituto de Estudos da Linguagem - IEL
Busca no IEL:
Página inicial | Contato | Mapa do site | WEBMAIL | Serviços
Pós-graduação Institucional | Graduação | Pós-graduação | Pesquisa | Publicações | Extensão | Biblioteca | CEDAE | Informática | Departamentos
 
Informações gerais
Programas
Processo Seletivo
Disciplinas
Docentes
Estudante Especial
Estudante Estrangeiro
Pós-doutorado
Calendário Escolar
Catálogos
Sipex/Lattes-CNPq
Relatório de Atividades
Auxílio Financeiro
PED
Egressos
Teses/Dissertações
Exame de Qualificação
Declaração/Atestado
Recursos Financeiros
 
Departamento de Teoria Literária - Catálogo 2002

A Pós-graduação em Teoria e História Literária, deve promover a formação de pesquisadores, dinamizando a crítica e a investigação conexas à literatura.
Da proposta e objetivação dessas metas prioritárias resulta, como decorrência, a efetiva capacitação de docentes para o ensino de terceiro grau, que devem aliar à capacidade docente o necessário espírito de pesquisa.

CORPO DOCENTE
Professores Plenos
Adma Muhana Fadul, Bach. Letras (Unicamp, 1983); Mestre (USP, 1989); Doutor (USP, 1996).
Alexandre Soares Carneiro, Bach. (Unicamp, 1986); Mestre (Unicamp, 1992); Doutor (Unicamp, 1997).
Antonio Alcir Bernárdez Pécora, Bach. Ling. (Unicamp, 1976); Mestre (Unicamp, 1980); Doutor (USP, 1990); Livre-Docente (Unicamp, 2000).
Antonio Arnoni Prado, Lic. Letras (USP, 1970); Mestre (USP, 1975); Doutor (USP, 1980); Titular (Unicamp, 1999).
Carlos Eduardo Ornelas Berriel, Bach. Ciên. Pol. Sociais (Esc. de Sociol. e Política de São Paulo, 1977); Mestre (Unicamp, 1987); Doutor (Unicamp, 1994).
Eric Mitchell Sabinson, Bach Artes-Estudos Brasileiros (SUNY at Buffalo, 1971); Mestre Estudos Latino-Americanos(SUNY at Bufallo, 1978); Mestre (SUNY at Bufallo, 19810; Doutor (SUNY at Bufallo, 1986).
Francisco Foot Hardman, Bach. Ciên. Sociais (Unicamp, 1974); Lic. C. Sociais (PUC, SP, 1979);Mestre (Unicamp, 1980); Doutor (USP, 1986); Livre-docente (Unicamp, 1994); Adjunto (Unicamp, 1998).
Jeanne Marie Gagnebin de Bons, Lic. Letras (Univ. de Genebra, Suiça, 1973); Doutor (Univ. de Heidelberg, 1977); Livre-docente (Unicamp, 1995).
Luiz Carlos da Silva Dantas, Lic. Letras (Univ. Aix-en-Prov., 1974); Mestre (Univ. Aix-en-Prov. 1976); Doutor (Univ. Aix-en-Prov., 1980).
Márcia Azevedo de Abreu, Lic. Letras (Unicamp, 1984); Doutor (Unicamp, 1993).
Márcio Orlando Seligmann Silva, Bach. História (PUC-SP, 1986); Mestre (USP, 1991); Doutor (Universidade livre de Berlim, 1996).
Maria Betânia Amoroso, Bach. Letras (USP, 1978); Mestre (Univ. de Pádua, Itália, 1984); Doutor (USP, 1995).
Maria Eugênia da Gama Alves Boaventura Dias, Bach. Letras (UFBA, 1969); Lic. (UFBA, 1970); Mestre (USP, 1975); Doutor (USP, 1980).
Marisa Philbert Lajolo, Lic. Letras (USP, 1966); Mestre (USP, 1969); Doutor (USP, 1980); Prof. Titular (Unicamp, 1991).
Míriam Viviana Gárate, Lic. Letras (Univ. Nacional de Rosário, 1984); Mestre (Unicamp, 1991); Doutor (Unicamp, 1995).
Orna Messer Levin, Lic. Letras (Unicamp, 1983); Mestre (Unicamp, 1989); Doutor (Unicamp, 1995).
Paulo Elias Allane Franchetti, Bach. Letras (UNESP, Araraquara, 1975); Mestre (Unicamp, 1982); Doutor (USP, 1992); Livre-Docente (Unicamp, 1999).
Suzi Frankl Sperber, Lic. Letras (USP, 1962); Mestre (USP, 1967); Doutor (USP, 1972); Titular (Unicamp, 1999).
Vilma Sant'Anna Arêas, Bach. e Lic. Letras (UFRJ, 1958); Mestre (PUC, RJ, 1972); Livre-docente (UFF, 1977);Doutor (USP, 1984).
Professores Participantes
Adélia Toledo Bezerra de Meneses, Bach. e Lic. Letras (USP, 1965); Mestre (USP, 1975); Doutor (USP, 1981).
Berta Waldman, Bach. Lic. Letras (USP, 1965); Mestre (USP, 1970); Doutor (USP, 1981).
Enid Yatsuda Frederico, Lic. Letras (USP, 1974); Mestre (Unicamp, 1984); Doutor (USP, 1991).
Haquira Osakabe, Lic. Letras (USP, 1969); Mestre (Univ. de Besançon, França, 1971); Doutor (Unicamp, 1975).
Iumna Maria Simon, Lic. Letras (FFCL, Assis, 1967); Doutor (FFCL, Assis, 1974).
Jesus Antonio Durigan, Lic. Letras (FFCL, S. José Rio Preto, 1969); Mestre (PUC, SP, 1974); Doutor (FFCL, Catanduva, 1975).
Vera Maria Chalmers, Lic. Letras (USP, 1967); Mestre (USP, 1970); Doutor (USP, 1975); Livre-docente (Unicamp, 1994).
Yara Frateschi Vieira, Lic. Letras (PUC, SP, 1960); Doutor (USP, 1972); Prof. Titular (Unicamp, 1991).


MESTRADO EM TEORIA E HISTÓRIA LITERÁRIA
O programa de Mestrado foi pensado como uma tentativa de cobrir o maior número possível das diferentes dimensões dos estudos literários.
As atividades do curso de Mestrado estão divididas em dois componentes básicos, além da Dissertação:
I) Componente Comum - no qual o aluno deverá obter minimamente 60 créditos em disciplinas.
II) Componente Específico - no qual o aluno deverá obter no mínimo 24 créditos em disciplinas relacionadas à linha de pesquisa de sua Dissertação.
No Componente Comum, composto pelas várias disciplinas de sigla LT pertinentes às áreas de pesquisa fundamentais nos estudos literários, o aluno poderá escolher, sempre com aprovação do orientador, aquelas disciplinas de maior interesse para sua formação e trabalho de Dissertação.
No Componente Específico, o aluno deverá escolher, sempre com aprovação do orientador, as disciplinas da série LT-Seminários de Orientação em..., de acordo com a linha de pesquisa de seu projeto.
Cabe à Subcomissão de Pós-graduação do Departamento de Teoria Literária indicar, dentre o conjunto de professores que formam o corpo docente, os nomes daqueles que serão responsáveis pelas várias disciplinas, quando da publicação da oferta das mesmas para cada período acadêmico. Nenhuma disciplina tem pré-requisito ou requisitos paralelos. Não há, além disso, nenhuma seqüência ou seriação obrigatória por área, modalidade ou domínio. O programa e bibliografia das disciplinas serão fornecidos pelo professor.
Poderão ser cursadas, sempre a critério do orientador, e convalidadas, a critério da SCPG-THL, disciplinas de outros programas de Pós-graduação do IEL, externos ao IEL ou externos à Unicamp, desde que não ultrapassem o limite de 1/3 (um terço) do total de créditos do curso (i.e. dos créditos do componente comum somados aos do componente específico). Entre as universidades estaduais paulistas (Unicamp, USP e UNESP), este sistema de intercâmbio e equivalência já está implementado.
São as seguintes as áreas de concentração e linhas de pesquisa em que os alunos poderão realizar suas Dissertações:

Áreas de Concentração:
Teoria e Crítica Literária;
Literatura Brasileira;
Literatura Portuguesa;
História e Historiografia Literária;
Literatura Geral e Comparada;
Literatura e Outras Produções Culturais.

Linhas de Pesquisa:
1. Literatura Brasileira do período colonial
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil durante o período colonial
2. Literatura Brasileira do século XIX
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil oitocentista.
3. Literatura Brasileira do século XX
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil do século XX.
4. Literatura Portuguesa Medieval
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante a Idade Média.
5. Literatura Portuguesa Clássica
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante os séculos XV, XVI, XVII e XVIII.
6. Literatura Portuguesa Moderna
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante os séculos XIX e XX.
7. Análise Literária Comparada
Estudos literários comparados por regiões, períodos, gêneros, disciplinas e/ou movimentos literários e culturais.
8. Crítica: história e metodologia
Estudos centrados na discussão da história da crítica literária e dos seus métodos.
9. Poética: gêneros, estilos, movimentos literários
Estudos de teoria literária centrados nos estudos de problemas de periodização literária, estilos de época, movimentos estético-culturais e gêneros literários.
Estudos de teoria literária centrados nos estudos de problemas de periodização literária, estilos de época, movimentos estético-culturais e gêneros literários.
10. Crítica textual: edição crítica, edições e traduções anotadas
Estudos teóricos e críticos dos problemas da edição e anotação de textos literários. Prática de edições e traduções.
11. Produção, circulação e recepção de textos literários
Estudos históricos, empíricos e teóricos da produção, circulação e recepção de textos literários.
12. Outras Literaturas Vernáculas
Estudos de obras literárias e autores de outras literaturas vernáculas clássicas ou modernas de países, regiões ou localidades inseridos nas culturas lingüísticas de tradição lusófona como, por exemplo, entre outras, o galego e as literaturas em língua portuguesa produzidas na África e na Ásia.
13. Literaturas Estrangeiras Modernas
Estudos especializados ou monográficos de autores e obras literárias pertencentes a países ou culturas estrangeiras, desde o Renascimento até o período contemporâneo, entre eles os produzidos em língua espanhola, italiana, francesa, inglesa e alemã.
14. Estudos Interdisciplinares de Literatura
Pesquisas voltadas para o exame das relações teóricas, históricas, estéticas ou culturais estabelecidas entre produções e contribuições das ciências humanas e sociais, ou das artes e comunicações, entre outros domínios afins.

Normas Específicas
São as seguintes as normas específicas do curso de Mestrado em Teoria e História Literária:

Admissão
São admissíveis como alunos regulares candidatos que satisfaçam os seguintes requisitos:
1. Ser graduado em curso superior;
2. Conhecer pelo menos duas línguas estrangeiras relevantes para a bibliografia da área dentre as seguintes: Inglês, Francês, Alemão, Italiano e Espanhol;
3. Dispor de tempo necessário para dedicar-se aos estudos e à redação da Dissertação;
4. Ser aprovado em seleção feita pelo Departamento e coordenada pela SCPG-THL;
5. Fornecer a documentação legal exigida pela DAC, e especificada em folder próprio, a cada processo seletivo.
A inscrição para o processo de seleção é feita mediante o preenchimento de formulário apropriado, que deve ser solicitado à Secretaria de Pós-Graduação do IEL, Unicamp, Caixa Postal 6045, CEP: 13081-970 Campinas, SP, e-mail: cpgiel@iel.unicamp.br. Também podem inscrever-se candidatos que se graduarão até 31 de dezembro, do mesmo ano, os quais deverão comprovar a conclusão de sua graduação no momento da matrícula.

Seleção
O candidato deverá encaminhar um projeto de pesquisa de, no máximo, 10 páginas (incluindo a bibliografia) e indicar sua relação com um, ou mais de um, dos tópicos de pesquisa do corpo docente do programa. O sentido geral da avaliação dos candidatos ao Mestrado será julgar a capacidade de formular questões relativas à literatura e/ou de refletir sobre uma questão ou objeto literário, dentre as áreas cobertas pelo programa.
Período de Inscrição: será publicado, anualmente pela SCPG-THL, calendário detalhado do processo seletivo.

Documentos mínimos
 - Formulário de Inscrição;
 - Três cópias do projeto a ser julgado;
 - Três cópias do Histórico Escolar da Graduação;
 - Três cópias do curriculum vitae.
 - Outros documentos complementares poderão ser solicitados em folder próprio antes de cada processo seletivo.

Capacitação em Língua Estrangeira
Como primeira etapa da seleção, o candidato deverá demonstrar capacitação em duas línguas estrangeiras, submetendo-se a provas de proficiência. Para prosseguir postulando o ingresso no curso de Mestrado, o aluno deverá necessariamente ser aprovado em pelo menos uma das provas.

Requisitos para Obtenção do Título de Mestre
Créditos
O aluno deve completar, após seu ingresso no Mestrado, no mínimo 138 créditos em atividades, dos quais pelo menos:
 - 60 créditos em disciplinas do Componente Comum (05 disciplinas).
 - 24 créditos em disciplinas do Componente Específico (02 disciplinas).
 - 54 créditos na Dissertação de Mestrado.

Orientação
Todo aluno regular, de Mestrado terá um orientador de Dissertação, por ocasião de sua primeira matrícula, pertencente ao quadro docente do Departamento de Teoria Literária. O orientador deverá manifestar-se, quanto à aceitação do orientando, em documento próprio. Em caso de mudança do orientador (provisória ou definitiva), deverá haver a devida comunicação formal e imediata à SCPG-TL, tanto do desligamento quanto da nova indicação. Não será permitida a permanência no programa de alunos sem orientador.
Cabe ao orientador, em comum acordo com o aluno, definir o tema e orientar a elaboração da Dissertação.
Cabe ao orientando cumprir todas as tarefas escolares e de pesquisa que lhe forem exigidas pelo orientador. A critério deste último, inclusive, o orientando deverá realizar quaisquer atividades complementares necessárias à sua boa formação, como cursos (independentemente de créditos), colóquios, seminários, etc. Sempre que solicitado pelo orientador, o aluno deverá comparecer imediatamente ao IEL/Unicamp.

Exame de Qualificação
O Exame de Qualificação consistirá na avaliação de uma versão parcial ou total do trabalho em andamento.
Para sua efetivação, será composta uma banca de três (3) membros,sendo um deles o orientador de Dissertação do candidato. Ele deverá realizar-se depois da integralização dos créditos do Componente Comum e no mínimo 3 meses antes da data prevista para a defesa da Dissertação.

Defesa da Dissertação
O candidato deverá defender sua Dissertação em sessão pública, perante comissão julgadora de três membros, presidida pelo orientador, em conformidade com as normas gerais que regem os cursos de Pós-Graduação da Unicamp e pelo Regulamento do curso de Pós-graduação em Teoria e História Literária IEL. Dela fará parte necessariamente no mínimo um professor externo ao programa da Pós-graduação em Teoria e História Literária.
Todos os demais itens referentes ao Mestrado serão regidos pelo Regimento Geral dos cursos de Pós-Graduação da Unicamp e pelo Regulamento específico deste Programa.

Freqüência e Duração
1. O prazo mínimo para a obtenção de créditos em disciplinas é 12 meses.
2. A freqüência mínima aos cursos é 75%.
3. O prazo máximo para a obtenção dos créditos necessários em disciplinas é 30 meses.
4. O prazo máximo para a obtenção do título é 48 meses. No caso de alunos bolsistas, o prazo máximo sofrerá redução de acordo com os compromissos assumidos junto às agências fomentadoras (CAPES, CNPq, FAPESP etc.).
5. O aluno poderá licenciar-se do programa por até dois (2) semestres, desde que haja justificativas excepcionais devidamente aprovadas pelo Orientador e pela SCPG-THL e seguindo as normas estabelecidas pelo Regimento Geral dos Cursos de Pós-graduação da Unicamp.
6. O aluno poderá cursar até 1/3 dos créditos necessários à sua formação em outros departamentos ou instituições de ensino.
7. Por proposta do orientador e ouvida a SCPG-THL, a CPG poderá aceitar até 1/3 de disciplinas de Pós-graduação cursadas em outras universidades nacionais ou estrangeiras nas quais o aluno já tenha sido aprovado antes do ingresso no curso.


DOUTORADO EM TEORIA E HISTÓRIA LITERÁRIA
As atividades do curso de Doutorado em Teoria e História Literária, abrangem as seguintes áreas de concentração e linhas de pesquisa:
.C.::Áreas de Concentração
- Teoria e Crítica Literárias;
- Literatura Brasileira;
- Literatura Portuguesa;
- História e Historiografia Literárias;
- Literatura Geral e Comparada;
- Literatura e Outras Produções Culturais.

Linhas de Pesquisa
1. Literatura Brasileira do período colonial
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil durante o período colonial.
2. Literatura Brasileira do século XIX
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil oitocentista.
3. Literatura Brasileira do século XX
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos no Brasil do século XX.
4. Literatura Portuguesa Medieval
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante a Idade Média.
5. Literatura Portuguesa Clássica
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante os séculos XV, XVI, XVII e XVIII.
6. Literatura Portuguesa Moderna
Estudos de cultura, história e crítica literária, tendo como corpus principal textos produzidos em Portugal durante os séculos XIX e XX.
7. Análise Literária Comparada
Estudos literários comparados por regiões, períodos, gêneros, disciplinas e/ou movimentos literários e culturais.
8. Crítica: história e metodologia
Estudos centrados na discussão da história da crítica literária e dos seus métodos.
9. Poética: gêneros, estilos, movimentos literários
Estudos de teoria literária centrados nos estudos de problemas de periodização literária, estilos de época, movimentos estético-culturais e gêneros literários.
10. Crítica textual: edição crítica, edições e traduções anotadas
Estudos teóricos e críticos dos problemas da edição e anotação de textos literários. Prática de edições e traduções.
11. Produção, circulação e recepção de textos literários
Estudos históricos, empíricos e teóricos da produção, circulação e recepção de textos literários.
12. Outras Literaturas Vernáculas
Estudos de obras literárias e autores de outras literaturas vernáculas clássicas ou modernas de países, regiões ou localidades inseridos nas culturas lingüísticas de tradição lusófona como, por exemplo, entre outras, o galego e as literaturas em língua portuguesa produzidas na África e na Ásia.
13. Literaturas Estrangeiras Modernas
Estudos especializados ou monográficos de autores e obras literárias pertencentes a países ou culturas estrangeiras, desde o Renascimento até o período contemporâneo, entre eles os produzidos em língua espanhola, italiana, francesa, inglesa e alemã.
14. Estudos Interdisciplinares de Literatura
Pesquisas voltadas para o exame das relações teóricas, históricas, estéticas ou culturais estabelecidas entre produções literárias e contribuições das ciências humanas e sociais, ou das artes e comunicações, entre outros domínios afins.

Admissão
Para ingresso no curso é preciso que o candidato satisfaça os seguintes requisitos:
a) ser graduado em curso superior e possuir, preferencialmente, título de Mestre;
b) o candidato deverá demonstrar capacitação em duas (2) línguas estrangeiras dentre as seguintes: Inglês, Francês, Alemão, Italiano e Espanhol, submetendo-se às provas eliminatórias de proficiência já no processo seletivo. Caso venha a ser reprovado, o candidato será automaticamente eliminado.
c) dispor de tempo necessário para dedicar-se aos estudos e à elaboração da Tese de Doutorado;
d) ser aprovado em seleção feita pelo Departamento e coordenada pela SCPG-THL;
e) providenciar toda documentação legal especificada em folder próprio.
A inscrição para o processo de seleção é feita mediante o preenchimento de formulário apropriado, que deve ser solicitado à Secretaria de Pós-graduação do IEL, Unicamp, Caixa Postal 6045, CEP: 13081-970 Campinas, SP, e-mail: cpgiel@iel.unicamp.br.

Seleção
O candidato deverá encaminhar um projeto de pesquisa de, no máximo, 15 páginas (incluindo a bibliografia) e indicar a sua relação com um, ou mais de um , dos tópicos de pesquisa do corpo docente do programa.
Espera-se do candidato ao Doutorado que apresente domínio satisfatório da bibliografia referente ao tópico do seu projeto.
O sentido geral da avaliação dos candidatos ao Doutorado será julgar a capacidade de identificar e encaminhar a discussão de questões relevantes nas áreas cobertas pelo programa, mediante o desenvolvimento de trabalho original de pesquisa.

Período de inscrição: será publicado, anualmente pela SCPG-THL, calendário detalhado do processo seletivo.

Documentos mínimos
- Formulário de Inscrição;
- Três cópias do projeto a ser julgado;
- Três cópias do Histórico Escolar da Graduação;
- Três cópias do curriculum vitae;
- Outros documentos complementares poderão ser solicitados em folder próprio antes de cada processo seletivo.

Capacitação em Língua Estrangeira
Como primeira etapa da seleção, o candidato deverá demonstrar capacitação em duas línguas estrangeiras, submetendo-se a provas de proficiência. Caso não obtenha aprovação em ambas as provas, estará automaticamente eliminado.

Requisitos para Obtenção do Título de Doutor

Créditos
Completar pelo menos 204 créditos em atividades programadas, assim distribuídos:
- 36 créditos em disciplinas do Componente Comum, após o ingresso no Doutorado;
- 24 créditos em disciplinas do Componente Específico, após o ingresso no Doutorado;
- 144 créditos na tese de Doutorado;
Ser aprovado em exame de qualificação para o Doutorado;
Ter aprovada sua Tese de Doutorado, cuja banca será composta de 4 membros além do

Orientador.
Todas as demais exigências e mecanismos de funcionamento do Doutorado serão regidos pelo Regimento Geral dos cursos de Pós-graduação da Unicamp e pelo Regulamento do curso de Pós-graduação em Teoria e História Literária do Iel.

Orientação
Todo aluno regular do Doutorado terá um orientador de Tese, por ocasião de sua primeira matrícula, pertencente ao quadro docente do Departamento de Teoria Literária. O orientador deverá manifestar-se, quanto à aceitação do orientando, em documento próprio. Em caso de mudança do orientador (provisória ou definitiva), deverá haver a devida comunicação formal e imediata à SCPG-THL, tanto do desligamento quanto da nova indicação. Não será permitida a permanência no programa de alunos sem orientador.
Cabe ao orientador, em comum acordo com o aluno, definir o tema e orientar a elaboração da Tese.
Cabe ao orientando cumprir todas as tarefas escolares e de pesquisa que lhe forem exigidas pelo orientador. A critério deste último, inclusive, o orientando deverá realizar quaisquer atividades complementares necessárias à sua boa formação, como cursos (independentemente de créditos), colóquios, seminários etc. Sempre que solicitado pelo orientador, o aluno deverá comparecer ao IEL/Unicamp.

Exame de Qualificação
O Exame de Qualificação do Doutorado incide sobre o projeto de tese parcial ou inteiramente desenvolvido.
Para o Exame de Qualificação, será composta uma banca de 3 (três) membros, sendo um deles o orientador de Tese do candidato. Ele será realizado num prazo mínimo de 6 meses antes da data prevista para defesa da Tese.

Defesa de Tese
Será efetuada em sessão pública em data marcada pela SCPG-THL, a pedido do orientador, dentro das exigências regulamentares do curso de Pós-Graduação da Unicamp e deste Programa em particular.
A Banca Examinadora, presidida pelo orientador, será composta por 5 (cinco) membros professores-doutores, devidamente aprovada pela SCPG-THL e demais instâncias legais. Dela farão parte, necessariamente, 2 (dois) professores externos ao programa de Pós-graduação em Teoria e História Literária.

Freqüência e Duração do curso de Doutorado
1. A freqüência mínima aos cursos é de 75%.
2. A duração mínima do curso de Doutorado é dois (24) meses.
3. O prazo máximo para a obtenção do título é de 72 meses.
4. Por motivos excepcionais, com concordância do Orientador e a critério da SCPG-THL, o aluno pode afastar-se do programa por até dois (2) semestres, observadas as condições estabelecidas pelo regimento Geral dos Cursos de Pós-graduação da Unicamp.


INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA O ALUNO DE PÓS-GRADUAÇÃO
O aluno de Pós-Graduação deverá informar-se sobre as normas burocráticas relativas ao seu curso, de modo a assumir os seus compromissos tanto acadêmicos como burocráticos.

Matrícula
Para a primeira matrícula (Ingressantes) na Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) são solicitados pela DAC (Diretoria Acadêmica responsável pela efetivação das matrículas, emissão dos históricos escolares, etc), os seguintes documentos, além dos exigidos por cada programa:
- Certidão de nascimento (cópia);
-­ Certidão de casamento, quando for o caso;
-­ Diploma de curso superior (cópia) ou Certificado de estudos e - Histórico escolar do ano findo (cópia);
-­ Certificado de reservista para os brasileiros de sexo masculino (cópia);
-­ 03 fotos 3x4;
-­ Cópia de CIC e RJ;
Observação importante sobre a matrícula
Todas as cópias deverão estar autenticadas, ou acompanhadas do original, sendo, então, autenticadas pela DAC.
A matrícula só pode ser feita durante os períodos fixados pela DAC, previstos no calendário de Pós-graduação.
A matrícula pode ser efetivada por procuração simples.
O aluno que perder o período de matrícula estará automaticamente desligado do curso.
Alunos bolsistas devem consultar a CPG/IEL e inteirar-se de normas específicas estabelecidas pelas fomentadoras de pesquisa.

Matrícula de estudantes estrangeiros
Pela legislação que regulamenta a matéria (Estatuto do Estrangeiro - Lei Federal nº 6815/80 alterada pela Lei Federal nº 6964/81), é vedada, sob qualquer condição, a matrícula de estrangeiro que haja ingressado no Brasil com visto de turista.
Estrangeiros portadores de visto temporário devem preencher formulário e anexar cópia de sua carteira de identidade (RNE) ou passaporte, se recém-chegado;
Estudantes estrangeiros com visto temporário devem cadastrar-se no Controle de Estudantes Estrangeiros da DAC - Diretoria Acadêmica.
Após o período de matrícula, a DAC emitirá listagem dos estudantes estrangeiros com visto temporário e encaminhará cópia da mesma às unidades de ensino para conferência e complementação, se o for o caso, até que se consiga obter cadastramento de todos.

Cancelamento
O aluno poderá cancelar a inscrição em disciplinas somente durante o período de cancelamento previsto no calendário de Pós-graduação. O pedido de cancelamento deverá ser assinado pelo orientador e pelo coordenador do curso.

Licenciamento
Caso o aluno não tenha condições de freqüentar cursos e realizar outras atividades previstas no programa, terá que solicitar licença formal.
Alunos não bolsistas poderão licenciar-se por até 2 semestres, observadas as condições estabelecidas pelo Regimento Geral dos Cursos de Pós-graduação da Unicamp.
O pedido de licença só poderá ser apresentado durante o período de matrícula ou durante o período de cancelamento.
Sempre que perceber que não terá condições de manter sua matrícula em curso algum, o aluno deverá solicitar licença, não devendo, em hipótese alguma, pedir cancelamento da matrícula em todas as disciplinas, sob pena de ser desligado do programa.

Desligamento do Curso
O aluno desligado do curso não é mais considerado aluno da Unicamp. Se o aluno for desligado por não efetuar matrícula ou por ter cancelado todas as disciplinas, poderá vincular-se ao programa através do novo exame de seleção.
O aluno será automaticamente desligado se exceder o prazo de conclusão estabelecido no regulamento do curso.

EMENTAS DAS DISCIPLINAS