Linguística - Diurno - 2o semestre de 2014

DISCIPLINANOME
AM062-ADivulgação Científica

HORAS SEMANAIS
TeóricasPráticasLaboratórioOrientaçãoDistânciaEstudo em CasaSala de Aula
10000 02
No. semanasCarga horária totalCréditosExameFrequênciaAprovação
15302S75N

Ementa:
Ciência, mídia e sociedade: a necessária interface. Ciência como atividade humana e seus usos sociais. Discurso científico e jornalístico: sentidos possíveis. Como divulgar ciência para o público leigo e como contribuir para uma melhor cobertura de ciência. Relações entre jornalistas e cientistas. O poder da ciência e o poder da mídia. Ciência e ideologia. Democratização do discurso científico. Ciência e educação. Conhecimento e percepção do público da ciência. Controvérsias científicas. Mídia e política de CT&I. A disciplina pretende iniciar uma aproximação entre academia e sociedade por meio de reflexões sobre a comunicação da ciência para o público não especializado, levando em consideração o papel e as responsabilidades da ciência e dos cientistas e jornalistas perante a sociedade. O ponto de vista do leitor. A mediação possível. As múltiplas abordagens da divulgação científica.

Objetivos:
Iniciar os futuros cientistas na importante atividade de divulgação e comunicação pública da ciência. Motivar a análise crítica sobre a relação entre ciência, sociedade e mídia. Incentivar a prática de comunicação científica voltada para o público leigo, e o diálogo com os jornalistas, assessores de comunicação e profissionais da comunicação. Orientar os futuros pesquisadores sobre o processo de produção da mídia e de posturas necessárias para uma comunicação sem ruídos. Discutir os desafios da divulgação científica. Durante o trabalho será desenvolvida a concepção do timing científico e jornalístico, de acordo com o veículo e suporte.

Programa:
1. Ciência e Poder
2. Ciência, Tecnologia, Inovação e imaginário social
3. Ciência e pseudociência
4. Política de C&T
5. Os indicadores de C&T
6. A divulgação científica no Brasil: trajetória
7. O papel do cientista na divulgação da ciência
8. Função educativa da mídia e de outros agentes de divulgação científica
9. A formação do jornalista e do divulgador da ciência
10. Jornalistas e Cientistas: semelhanças e diferenças
11. Relações entre jornalistas e cientistas
12. Quando a ciência vira notícia (perspectiva do jornalista e do cientista)
13. Discurso jornalístico x discurso científico
14. Os manuais de divulgação científica
15. O tratamento da informação científica em diferentes mídias
16. Apresentação dos trabalhos

Bibliografia:
Referências básicas:
BAUER, M. & Bucchi, M. (Eds.). “Journalism, science and society”. Routledge. 2008.
BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da Ciência. Por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo, Unesp, 2004.
BUCCHI, Massimiano & Trench, Brian (Org.). Handbook of Public Communication of Science and Technology. Routledge. 2008.
FOUREZ, Gérard. A construção das Ciências: introdução à filosofia e ética das Ciências. São Paulo: Editora Unesp, 1995.
IRWIN, Alan e Wynne Brian. Misunderstanding science? The public reconstruction of science and technology. Cambridge University Press, 1996.
KNELLER, George A Ciência como Atividade Humana. Zahar, Edusp. Rio de Janeiro, 1980.
LATOUR, Bruno e Woolgar, Steve. Vida em Laboratório. A produção dos fatos científicos. Releume, Rio de Janeiro, 1997.
LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. Ed. Unesp, SP, 2000, 438p.
MAYOR, Frederico. Ciência e Poder hoje e amanhã. Papirus, Campinas, 1988.
MEREDITH, Dennis. Explaining Resarch . How to reach key audiences do advancer your work. Osford University Press. 2010.
ZAMBONI, L.M.S. Cientistas, Jornalistas e a Divulgação Científica – subjetividade e heterogeneidade no discurso da divulgação científica. São Paulo: FAPESP/Editora Autores Associados, 2001.

Referências Complementares:
BLUM, Deborah, Knudson, Mary. A Field Guide por Science Writers. Oxford University Press, 1997.
DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Ed. Contraponto, RJ, 1997.
FAYARD, Pierre. Sciences aux Quotidiens. Zéditions. Collection André Giordan et Jean-Louis Martinand. Nice. França, 1993.
GRANGER, Gilles Gaston. A ciência e as ciências. Tradução de Roberto Leal Ferreira. Editora da Universidade Estadual Paulista, SP, 1994.
GREGORY, James & MILLER, Steve. Science in Public – Communication, Culture, and Creedibility. Plenum Press, New York, 1998. 294 p.
IRWIN, Alan e Wynne Brian. Misunderstanding science? The public reconstruction of science and technology. Cambridge University Press, 1996.
LEITE LOPES, J. Ciência e Libertação. Ed. Paz e Terra, RJ, 1969.
MEYER, Philip. Precision Journalism-a reporter’s introduction to social science methods. Rowman & Littlefield Publishers, Inc. New York, EUA, 2002.
MORIN, Edgard. Ciência com Consciência. Publicações Europa-América. Portugal, 1990.
NELKIN, Doroty. Selling Science: how the press covers science and technology. Edição revista. Freeman and Company, New York, 1995.
NISBET, Matthew C.& Scheufele, Dietram A. “What’s next for science communication? Promissing directions and lingering distractions”. American Journal of Botany, Vol.96, no.10. 2009.
PRACONTAL, Michel de. A impostura científica em dez lições. São Paulo:Editora UNESP.2002.
ROQUEPLO, Philippe. Le partage du savoir. Science, cultura, vulgarisation. Editions du Seuil, Paris VI, 1974.
RUSSEL, Bertrand. O impacto da ciência na sociedade. Editores Zahhar. Rio de Janeiro, 1976.
VIEIRA, Cássio Leite. Pequeno Manual de Divulgação Científica. Dicas para cientistas e divulgadores de ciência. CCS/USP, 1998, 48 p.
ZIMAN, John. A força do conhecimento. Tradução de Eugênio Amado. Editora Itatiaia. Belo Horizonte e Editora da Universidade de São Paulo. 1981.

Critérios de Avaliação:
A avaliação será realizada durante as atividades conduzidas em sala de aula, Seminários e Pesquisa de campo. A disciplina será pautada por um período de discussão teórica de textos teóricos e jornalísticos analisados, além de produção de conteúdos.